Translate - Escolha o idioma em que deseja ler este blog.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O PESCADOR NOBRE E A RELES DAMA - Por Cris Dakinis

 


Dentre os 20 poemas finalistas no FESTCAMPOS de POESIA FALADA / 2009;
2º lugar no gênero Poesia do Concurso Literário da Academia de Letras de São João da Boa Vista /SP/2008;
Classificado no Prêmio FEUC de Literatura 2008

                   O PESCADOR NOBRE E A RELES DAMA

O rijo mastro sustenta insistente ...
a vela que treme, que voa, que sente
Há harmonia em todo o conjunto ...
Não separo, nem paro: ajunto !

Ouvindo o bater da água salgada
Barulha a sua sede ...
Mergulha a minha rede ...
Sinto-me voar: toda alagada !

No alto, eu vela tremendo
Se outra, jazia ardendo ...
Sou eu! Então velo gemendo
no colo do barco: me tendo !

O sol se põe a seu tempo
E a lua aparece tão bela
Tão só que sinto dó dela
Mas o barco tem ela: a vela !

E a vela tem o mastro que a prende
Meu vestido amassado e molhado
Do mar manso, quente e cansado
Sento-me atada ao porto: suado !

O lucro é líquido que nele derrama
Hum... mar maroto servindo de cama
Ao barco, à vela, ao casal que se ama:
o pescador nobre e a reles dama !

(do livro POR ARTE DE MAGIA)
* Cris Dakinis